Pesca pode render R$ 1 bilhão anuais ao Pará

857
Pesca pode render R$ 1 bilhão anuais ao Pará
Pesca pode render R$ 1 bilhão anuais ao ParáMinistro Helder Barbalho se reuniu com o governador Simão Jatene para discutir sobre a importância do setor da pesca para o Estado. (Foto: Marco Santos)

O ministro da Pesca, Helder Barbalho participou ontem de audiência com o governador do Pará, Simão Jatene para discutir parcerias entre os governos federal e estadual no que diz respeito ao desenvolvimento da pesca e aquicultura. Simão Jatene foi o quinto governador visitado pelo ministro que já esteve com os governadores de São Paulo, Bahia, Goiás, Ceará. No Pará, Helder propôs ao governador Simão Jatene uma parceria para o desenvolvimento da aquicultura em águas da União no Lago de Tucuruí.

A meta é explorar todo o potencial aquícola do Lago, o que vai representar a produção de 162 mil toneladas de pescado ao ano, volume 32 vezes maior do que produzido hoje em todo o Estado.O Pará hoje é um dos principais Estados em pesca extrativa do Brasil, com a exportação de 120 mil toneladas. Na aquicultura (produção em cativeiro), contudo, a produção chega a apenas 5 mil toneladas, embora tenha potencial para chegar a mais de 160 mil toneladas.

O aumento da produção beneficiará centenas de famílias e produtores que moram nas proximidades do Lago, além de injetar na cerca de R$ 1 bilhão na economia do estado, gerando cerca de 7,2 mil empregos diretos e indiretos. “É fundamental que o Ministério da Pesca, junto com o governo federal e em parceria com o governo estadual possa fazer uma grande frente que possa gerar produção para o Estado e para o Brasil, portanto é geração de emprego, de renda e oferta de produto o que faz baratear o preço do pescado para as pessoas e claro vai colaborar para o aquecimento econômico do Estado”, explicou. Helder. “É um grande projeto para o nosso Estado para os paraenses. Por isso terá a nossa parceria” , afirmou Simão Jatene.

Helder chegou à sede do Comando Geral da PM, lugar onde Jatene tem despachado, pontualmente às 4 horas da tarde. O encontro durou quase uma hora e foi acompanhado pelos secretários de Desenvolvimento Agropecuário e de Pesca, Hildegardo Nunes; e de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Luiz Fernandes. Foi o primeiro encontro entre Helder e Jatene que foram adversários nas últimas eleições ao governo do Estado. Na saída, o ministro disse que o encontro foi cordial e afirmou que considerou a conversa “bastante produtiva”.

Uma das primeiras medidas para a exploração do potencial aquícola do Lado de Tucuruí será a assinatura um Termo de Ajuste de Conduta entre Secretaria de Meio Ambiente, Ministério Público e Ministério da Pesca para renovar o licenciamento ambiental do lago. O ministro garantiu que o TAC será assinado ainda na primeira semana de maio. “Esse é um ponto imediato: firmar a aquicultura e piscicultura, principalmente de tambaqui no lado de Tucuruí que tem grande potencial a baixo custo”.

O passo seguinte será a criação de uma força tarefa entre o Ministério e o Governo do Estado. O grupo vai recadastrar famílias da região e fazer a nova emissão do licenciamento ambiental dos três parques já existentes no lago de Tucuruí. Depois começa a capacitação dos produtores.O titular da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hildegardo Nunes disse que com as parcerias entre governo federal e estadual há possibilidade de que o Pará tenha participação de destaque na produção pesqueira do Brasil. “As políticas estão convergindo. Vamos trabalhar no sentido de que o Pará possa ser destaque”.

Helder ainda visitará, nos próximos dias, os governadores do Paraná e de Minas Gerais, fechando assim as conversas com governadores dos sete Estados apontados como centrais na estratégia de ampliação da pesca e aquicultura. O objetivo das parcerias com os Estados é aumentar da produção aquícola brasileira, que hoje está em 475 mil toneladas ano para 2 milhões de toneladas.

(Diário do Pará)

RESPONDER COMENTÁRIO