Mais de 36 mil pessoas são vacinadas no primeiro dia de campanha contra a gripe

86
Mais de 36 mil pessoas são vacinadas no primeiro dia de campanha contra a gripe

 | Pedro Guerreiro/Ag. Pará

No primeiro dia da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe na capital paraense, realizada nesta segunda-feira (23) mais de 36 mil pessoas foram vacinadas, grande parte idosos, mas também profissionais da área de saúde. 

A procura superou as expectativas, que eram de cerca de 20 mil vacinas a serem administradas na abertura da campanha. Mesmo assim, o atendimento ocorreu normalmente.

Neste ano, o Governo Federal adotou a vacinação dos grupos prioritários por etapas, iniciando com pessoas com mais de 60 anos e profissionais da saúde. 

A vacinação contra a gripe continua até o dia 15 de abril para idosos e profissionais da saúde, e imuniza contra os vírus Influenza A/H1N1pdm09, A/H3N2 e B Victoria, que foram os tipos de vírus mais circulantes no ano passado em todo o mundo e será uma importante aliada no diagnóstico do novo Coronavírus (Covid-19), uma vez que as pessoas vacinadas ficam protegidas de outros vírus da gripe.

O aposentado Geraldo Martins, de 78 anos, chegou antes das 8h em frente do Estádio da Curuzu, onde foi montado um posto de atendimento para a campanha. Ele estava revoltado com o fato de às 9h, o espaço não ter sido liberado para a entrada dos idosos como estava previsto. “Achei isso uma falta de respeito. Nos deixaram numa fila, debaixo do sol forte. Todo mundo aglomerado. Não estou saindo de casa de jeito nenhum. Só sai para tomar vacina e quando chego aqui está desse jeito”, reclamou. Nem a distância mínima de 2 metros estava sendo respeitada.

META

O assessor técnico em Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), David Rosário explicou que a Campanha de Vacinação contra a Gripe para idosos e profissionais de saúde vai até o dia 15 de abril e a meta é vacinar 131 mil idosos e 42.500 profissionais da área da saúde na capital.

Para isso, todos os postos estarão abertos durante esse período e os postos localizados nos Estádio da Curuzu, no Baenão e o Drive Thru na Aldeia Amazônica funcionará conforme a demanda. “Vamos observar a demanda e conforme for poderemos mantê-los até a próxima semana”, informou.

O assessor garantiu que não há necessidade de correria aos postos porque há vacinas para todos “O primeiro dia de vacinação costuma haver esse alvoroço, porque todo mundo espera se vacinar logo. Estive mais cedo no Posto da Cremação e expliquei que não há necessidade dessa correria, porque todos serão vacinados”, destacou.

De acordo com ele, houve um pequeno atraso para o início da vacinação por conta de um reforço nos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) dos profissionais que estão trabalhando na campanha. Ele garantiu ainda que medidas de prevenção contra o coronavírus estão sendo tomadas durante a vacinação. “Optamos por disponibilizar espaços para abertos como o Estádio da Curuzu e o Baenão justamente porque são espaços amplos”, disse.

MÁSCARAS

Grande parte dos idosos que estava na fila para receber a vacina estava com máscaras cobrindo o rosto para tentar se proteger no coronavírus. A questão é que algumas eram visivelmente improvisadas ou estavam sendo usadas de maneira incorreta, cobrindo somente a boca ou o nariz e não os dois como vem sendo recomendado para aquelas pessoas que apresentem algum sintoma de gripe.

O aposentado Geraldo Alvarez, por exemplo, estava com um pedaço de papel improvisado como máscara. “Já procurei em tudo quando foi lugar e não consegui comprar, o jeito foi improvisar mesmo”, justificou. De acordo com informações do site do Ministério da Saúde, o uso da máscara de proteção é recomendado às pessoas que apresentam sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldades em respirar. A utilização serve para evitar a transmissão do coronavírus de uma pessoa que esteja infectada para as outras.

Vacinas estragam em unidade e idosos voltam para casa

Aos 62 anos de idade, dona Angelina Santos, foi até a Unidade de Saúde do bairro de Fátima para se imunizar contra a gripe, mas voltou para casa sem conseguir se vacinar. Todas as doses que estavam armazenadas na geladeira da unidade estragaram e, por isso, dezenas de pessoas ficaram sem poder se proteger contra a Influenza. A situação causou indignação nos usuários que, em tempos de recomendação para ficar em casa, praticamente deram com a cara na porta.

A justificativa de que a vacinação não foi realizada por questões técnicas, como informavam os funcionários do posto, não foi bem vista pelos idosos e filhos deles. Duas profissionais de saúde estavam na recepção da unidade atendendo os usuários que chegavam. Elas pediam que as pessoas retornassem no dia seguinte (hoje) porque a vacinação estava suspensa.

Alguns usuários comentavam que tinha escutado que as doses de vacina tinham chegado na Unidade na sexta-feira, 20, mas que alguém teria deixado aberta a geladeira onde guardam as vacinas, por isso elas teriam estragado.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) para saber sobre o problema. A Sesma informou que o serviço de vacinação será normalizado, hoje (24), na Unidade de Saúde do bairro de Fátima. Justificou que o problema aconteceu por causa de um problema técnico na geladeira de armazenamento das vacinas. A secretaria não informou quantas doses foram perdidas.

Autor: Alexandra Cavalcante e informações Ag. Belém

RESPONDER COMENTÁRIO