Acusado de mandar matar pais e irmão em Altamira segue em liberdade 3 anos depois do crime

222
Acusado de mandar matar pais e irmão em Altamira segue em liberdade 3 anos depois do crime
Antes da tragédia, Henrique Alves (à esq.), a irmã e as vítimas (à dir.): o crime aconteceu em janeiro de 2016. (Foto: Reprodução)

Há três anos, o Pará conhecia um dos crimes mais chocantes de sua história. Pais e um filho foram mortos dentro da própria casa. O casal Luiz Alves e Irma Buchinger e o filho Ambrósio Neto foram amarrados, asfixiados e assassinados. no dia 07 de janeiro de 2016.

Henrique Buchinger Alves, denunciado pelo Ministério Público pelo assassinato de seus pais e irmão, segue solto há quase um ano. Em junho 2018, ele conseguiu habeas corpus. O Supremo Tribunal Federal (STF), por decisão do ministro Marco Aurélio Mello, revogou a prisão preventiva em apreciação de habeas corpus de outro envolvido que foi extensivo a Henrique.

Além dele, Anderson de Goes Moraes, Aguinaldo Soares de Brito, Francisco Denes de Oliveira Leite, Renato Silva e Silva e Maycom Irlan Paiva de Souza também conseguiram o recurso.

Henrique foi pronunciado e o processo está em andamento. O julgamento ainda não tem data para ocorrer. O juiz já sentenciou para que o processo fosse para o tribunal de júri.

RELEMBRE O CASO

Homens encapuzados invadiram a casa da família Buchinger na madrugada do dia 07 de dezembro de 2016. Estavam no local Luiz Alves, Irma Buchinger, Ambrósio Neto, Chiara Buchinger e Henrique Buchinger. Eles foram amarrados enquanto os bandidos roubavam pertences da residência localizada em Altamira, sudoeste paraense.

Luiz Alves, Irma Buchinger e Ambrósio Neto foram amarrados, asfixiados e assassinados. As investigações policiais apontaram Henrique como mandante do crime. Ele chegou a ficar foragido, mas ele foi preso dias depois em Goiânia (GO).

(DOL)

RESPONDER COMENTÁRIO