Preço da farinha fecha 2016 com alta de 63,16% na Grande Belém

O quilo da farinha de mandioca está custando R$ 7,13. Em novembro, a cesta básica dos paraenses custou R$ 410,71

434

Pesquisas feitas pelo Dieese/ PA em feiras livres e supermercados da capital revelam que o preço da farinha de mandioca voltou a subir em 2016. Segundo o Dieese, o quilo da farinha apresentou alta acumulada de 63,16% no período de janeiro a dezembro, contra uma inflação estimada em torno de 6,47%.

Em dezembro de 2015, o quilo da farinha foi comercializado, em média, a R$ 4,37. No início deste ano o quilo da farinha foi vendido a R$ 5,43; em fevereiro custou em média a R$ 6,58; no mês seguinte foi encontrado a R$ 6,89; já em abril estava custando R$ 7,03; no mês de maio foi comercializado a R$ 7,05; em junho foi vendido a R$ 7,09; no mês de julho foi encontrado a R$ 7,10; já em agosto foi comercializado a R$ 7,11; no mês seguinte foi vendido a R$ 7,13; em outubro e em novembro custou R$ 7,14 e no mês de dezembro o produto foi vendido à R$ 7,13.

Para o Dieese, as causas destes aumentos no preço da farinha e de outros produtos básicos da mesa dos paraenses são muitas e passam por uma série de fatores estruturais dentro da cadeia produtiva até a comercialização.  A maior quantidade da farinha de consumida em Belém vem de municípios próximos da capital como Castanhal, Capanema e Bonito, entretanto, mais da metade da produção é artesanal.

Em dezembro, a cesta básica dos paraenses custou R$ 410,71, comprometendo na sua aquisição cerca de 51% do salário mínimo de R$ 880, em 2016. Nos doze meses do ano passado a cesta dos paraenses apresentou alta acumulada de 16,70% e a maioria dos produtos teve crescimento de preços, muitos acima da inflação, como a farinha de mandioca.

Fonte: G1

RESPONDER COMENTÁRIO