Conheça uma série de doenças raras que ainda intrigam a medicina

2678
Conheça uma série de doenças raras que ainda intrigam a medicinaElla Harper nasceu nos EUA por volta de 1870 com um problema ortopédico raro, que resultava em uma deformidade que fazia seus joelhos serem dobrados para trás. A história de Ella é bastante conhecida e até hoje fotos suas circulam pela web. Devido à deformidade, a garota preferia andar de quatro e acabou ganhando o apelido de “The Camel Girl” (ou “Garota Camelo”, em tradução literal). Ela virou estrela do circo “W. H. Harris’s Nickel Plate Circus” e fez muito sucesso. Os jornais da época se referiam a ela como “A excentricidade mais maravilhosa da natureza desde a criação do mundo”. A origem do problema de Ella ainda é desconhecida, mas alguns médicos classificam como uma forma avançada da “Deformidade dos Joelhos Dobrados”

Reprodução
tres pernasO italiano Frank Lentini nasceu em 1889 e morreu em 1966, mas até hoje sua história é bastante conhecida. Ele era o décimo terceiro filho de um casal que já tinha cinco meninos e sete meninas e nasceu com três pernas, quatro pés (o quarto pé ficava atrás do joelho da terceira perna) e dois órgãos genitais. De acordo com os médicos, a má-formação aconteceu porque Frank deveria ter nascido acompanhado de dois irmãos gêmeos, que acabaram não se formando. Remover os membros extras não estava em cogitação, pois estavam ligados diretamente à espinha dorsal, e retirá-los poderia deixar o menino paralítico. Cada uma de suas pernas possuía um tamanho diferente. Ao se mudar para os EUA, realizou o sonho de ser artista e entrou para o circo. Foi casado com Theresa Murray, com quem teve quatro filho

Reprodução

Dale Decker, 27 anos, mora em Wisconsin (EUA) e levava uma vida normal com a esposa e os dois filhos até sofrer um acidente doméstico que mudou completamente sua vida. Ele deslocou um disco da coluna ao cair e, ainda enquanto era levado ao hospital, teve cinco orgasmos seguidos. A princípio, ele apenas ficou envergonhado e sem entender aquele ato inconveniente, mas depois foi informado pelo médicos que a lesão do disco na coluna causou uma pressão sobre o nervo pélvico, tornando-o hipersensível e fazendo Dale adquirir uma condição incontrolável chamada Síndrome da Excitação Genital Persistente. Desde então, ele tem cerca de 100 orgasmos por dia. Como não tem hora, nem lugar para acontecer, o homem evita sair de casa.

orgasmoApril, a esposa de Dale Decker, 27, sustenta a casa, uma vez que o marido, com uma síndrome que o faz ter 100 orgasmos por dia, ficou impossibilitado de trabalhar. Mas esse não é o maior problema dela. “É realmente perturbador não poder fazer as coisas que marido e mulher fazem, e isso está nos afetando. Por ele ter episódios também durante a noite, tomamos a decisão de dormir em camas separadas. Isso pode ser muito frustrante. Você quer o conforto de outra pessoa, particularmente o seu marido, mas não temos isso”, contou April sobre a atual incapacidade do marido de satisfazê-la na cama. “É muito frustrante para nós dois, pois para mim nunca acaba. Eu tentei ler sobre isso, ir a médicos, mas ninguém pode me ajudar. Eu não sei o que vou fazer. Eu só quero ter minha vida antiga de volta”, desabafou o marido

Reprodução/Daily Mail

 

 

 

RESPONDER COMENTÁRIO