Salinas aplica goleada no Super Jep’s

1245

FUTSAL

Escola Dom Bosco dá de 9 a 2 no time da Cordeiro de Farias, de Belém

Na terra do surfe e outros esportes do mar, o futsal também é rei e mostrou para a capital a força desse esporte no interior do Pará. Na segunda rodada do Super Jep’s (Jogos Estudantis Paraenses), a Escola Dom Bosco, de Salinópolis, goleou por 9 a 2 o time da Escola Cordeiro de Farias, de Belém. Às vezes sem luvas, outras com chuteiras velhas, os jogadores da categoria A (de 12 a 14 anos) se mostraram deficiência física e a falta de recursos, esses itens foram compensados, sobretudo, com talento e persistência. Foi de fato uma partida muito disputada, com direito a gritos das arquibancadas e a água do bebedouro no final.

As equipes de Salinópolis e Belém iniciaram a última partida da tarde, no ginásio da Escola Avertano Rocha, no distrito de Icoaraci, em Belém, por volta das 16 horas. Belém abriu o placar, mas Salinas correu atrás e empatou a partida: dois gols a partir de chutes fortes. Logo no início os times mostraram seus ponteciais: Belém tinha uma equipe técnica, enquanto Salinas se sobressaia por meio da força física. O público, como de costume, pouco compareceu. Os gritos que ecoavam no ginásio vinham dos integrantes da delegação de Salinas, que estavam nas arquibancadas.

A equipe de Salinas tem uma boa média de altura, mas não conseguia aproveitar a vantagem. A partida era equilibrada e o que pendeu a gangorra para o lado do interior foi um nome, ou um atleta, ou um aluno: Victor, camisa 9. Como ala pela direita ou pela esquerda, de pivô no meio, ou com a sorte. Victor, além de jogador disciplinado, era o principal nome do time. Com 13 anos, ele já dava os gritos de jogador experiente e virou a partida para 3 a 2 com boa jogada pela direita e chute sem defe

 

RESPONDER COMENTÁRIO